sábado, março 15, 2008

ESTA LISBOA DE HOJE


Ninguém tem culpa de nascer pobre ou doente, mas já não se pode dizer o mesmo se por nossa culpa nos tornamos indigentes ou incapacitados, mas ainda que tal aconteça o Estado tem, ou devia ter, obrigação de cuidar dessas criaturas. Ao fazê-lo evitava os espectáculos tristes de pobreza e falta de higiene a que assiste quem diariamente passa na Praça de D.Pedro IV (Rossio) ou no vizinho Largo de São Domingos.


A qualquer hora, mas sobretudo da parte de manhã, torna-se nojento passar junto à frontaria do Teatro D. Maria II, que serve de dormitório e WC aos sem abrigo.
Eles são Portugueses, Ucranianos, Romenos, Africanos, de todo o mundo, porque como sempre fomos um pais de emigrantes, sentimos-nos na obrigação de também receber, mas existem limites e parece-me que há muito esses limites foram ultrapassados.


1 comentário:

carla granja disse...

ola amigo como estas ? a vida esta assim em toda a parte do mundo e portugal nao podia ficar de fora a tanta desgraca. se quiseres passa no meu blog pois apesar de estar no canada de ferias ainda tenho um tempinho para escrevrer e visitar os amigos
bjo e bom fim de semana
carla granja