terça-feira, junho 30, 2009

SAVIOLA APRENSENTADO AOS SÓCIOS

Javier Saviola foi apresentado esta tarde como reforço do Benfica para as próximas três temporadas. Ao lado de Rui Costa, o internacional argentino deu conta da «vontade enorme» em iniciar o trabalho no campo com os novos companheiros, enaltecendo a união e «fome de vitória» que encontrou no balneário.

«Venho de um clube importantíssimo [Real Madrid] e terei a responsabilidade de fazer um bom trabalho. Vou dar o máximo para que o Benfica possa estar sempre no topo», afirmou ‘El Conejo’, regozijando-se com a recepção que lhe foi proporcionada pelo grupo: «Fui muito bem recebido por todos os meus companheiros. Acredito que a adaptação vai ser rápida, pois encontrei um bom ambiente no balneário, um grupo unido e com fome de vitória».

«Espero fazer boas temporadas e dar o meu contributo à equipa. Espero que possam desfrutar do meu futebol», prosseguiu Saviola, não se furtando ao desafio de deixar uma mensagem aos adeptos encarnados.

«Uma mensagem? Penso que é minha e de todos os jogadores: prometer que vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para conquistar títulos esta época. Pessoalmente, espero fazer uma boa temporada e mostrar o meu futebol. Vamos lutar pelo campeonato», afiançou.

Questionado sobre a importância de Rui Costa na sua vinda para a Luz, Saviola confessou ter ficado «motivado e feliz» com a vontade manifestada e o esforço dispendido pelo Benfica na sua contratação, sublinhando que o agora director desportivo «foi uma figura reconhecida internacionalmente» e que ajudou na sua decisão.

«Tenho muito para dar»

Pouco utilizado no Real Madrid na época transacta, Saviola vai empenhar-se nos trabalhos de pré-temporada para se por em «forma fisicamente o mais rápido possível», garantindo ter «muito para dar futebolisticamente».

Quanto ao número 30 que vai envergar na camisola, o argentino explicou que a escolha não se ficou a dever «em nada em especial». ««Já não havia muitos números por onde escolher», admitiu, entre risos.

BENFICA À BENFICA!


Desapego ao poder, apesar de se preparar para, se for eleito até 2012, perfazer nove anos à frente do Benfica. «Encontrei um clube quase com as pedras da calçada hipotecadas e quero deixar um Benfica já bem sustentado, com condições para o sucesso desportivo. Vim com as mãos e com as mãos sairei, não tive qualquer benefício pessoal», garantiu esta noite Luís Filipe Vieira.

Entrevistado na SIC Notícias, o presidente candidato deixou inúmeros recados. «Não me quero nada perpetuar no poder, antes consolidar o projecto que comecei», reiterou Vieira
A revelação mais surpreendente terá sido a de que está a negociar o nome do estádio. «Queremos vender o naming do estádio, estamos a negociar com uma empresa. Pode demorar uns meses, mas conseguiremos lá chegar. E até pode continar a chamar-se Luz», disse Filipe Vieira, recusando confirmar se a empresa será ou não... a EDP, como pareceu.

Cauteloso se mostrou quanto a Reyes integrar o plantel : «O Benfica, no esforço que está a fazer, está a efectuar equilíbrios naturais. Dentro de dias veremos». Ainda sobre reforços, foi sincero quanto à contratação de Falcao e descartou a hipótese de vir mais um guarda-redes. «Poderá entrar mais um jogador na equipa. Guarda-redes, que eu saiba, não. Mas isso são opções do treinador, não minhas».


Depois de assumir o erro de despedir Fernando Santos («sabe Deus o que me custou falar com ele»), mostrou-se rendido a Jesus: «É o o melhor técnico português. Conheço o percurso da vida do Jorge, subiu a corda a pulso, sabe o que é sofrer, tem grande ilusão e expectativa. Suceda o que suceder, garanto que vai ficar no Benfica. Tem contrato por duas épocas, mais uma de opção», disse quem não admitirá mais que os árbitros arquem com a responsabilidade dos inêxitos da águia: «Até perdemos credibilidade, soa a desculpa. Isso tem de acabar. Sabemos que temos de dar o máximo e lutar contra tudo e contra todos!»

JOGO SUJO

Aparece de chinelos e calças de ganga fashion. Está mais velho, mas com o mesmo ar insolente com que passeava nos estádios e nas conferências de imprensa. "Sempre gostei de ser diferente".

Fernando Mendes escreveu, de facto, uma biografia diferente do habitual: confessa o uso do doping nos melhores anos da carreira e só não diz em que clubes para evitar processos judiciais. Iliba o FC Porto, mas recusa-se a esclarecer se jogou dopado no Belenenses e no Boavista. O livro descreve uma realidade chocante, de seringas nos balneários e juniores usados como cobaias. Chama-se "Jogo Sujo".

Fernando Mendes tem 42 anos e prepara-se no Olímpico do Montijo para ser treinador.

Porquê escrever este livro agora?
Antes de acabar a carreira já tinha a ideia de escrever um livro sobre a minha vida profissional e relatar situações menos conhecidas, mas muito faladas. Calhou ser agora.

Os casos que descreve são crimes que já prescreveram. Fez de propósito para não arranjar problemas legais?
A primeira versão do livro era mais dura. Escrevi os nomes dos envolvidos, dos clubes, tudo. Mas decidi recuar porque iria passar a vida inteira nos tribunais. Não escrevi o livro de ânimo leve, nem para ganhar dinheiro.

Qual é o objectivo então?
O jogador é tratado como uma máquina. Éramos carne para canhão. É como se tivéssemos uma faca apontada: "Ou fazes isto ou não jogas". São histórias que merecem ser contadas.

Ao decidir não escrever o nome das pessoas e dos clubes envolvidos está a lançar suspeitas sobre todos.
Não quero atingir ninguém, mas alertar as pessoas para a realidade do doping. Os que conhecem o mundo do futebol sabem a quem são dirigidas estas palavras e percebem que não são generalizadas.

Com que idade se dopou pela primeira vez?
Com vinte e poucos anos. O início da minha carreira foi muito transparente. Quando se tornou maior o nível de exigência e mais altos foram sendo os objectivos do clube, começaram a surgir algumas situações duvidosas.

No livro, conta que os jogadores entravam no balneário "como galinhas" a perguntar "onde estava o milho" e que iam direitos ao massagista para serem dopados. De que clube está a falar?
As pessoas ligadas ao futebol sabem de que clube se trata.

Depreende-se que passou os melhores anos da sua carreira dopado.
Não, isso não era sempre. Não me dopei a vida inteira.

A partir dos "vinte e tal anos", houve três clubes onde teve "grandes épocas": Porto, Boavista e Belenenses. Dopou-se no Porto?
Não.

E no Boavista ou no Belenenses?
Não respondo.

Antes destes clubes nunca se tinha dopado?
Que eu soubesse não. Quando chegava a um clube havia muitos medicamentos e nem sempre era informado do que andava a tomar. Havia clubes que nos davam cápsulas sem qualquer nomenclatura ou a marca do medicamento. Hoje o controlo é mais apertado e os clubes não arriscam tanto.

Quando é que se dopava?
No próprio dia do jogo.

No livro fala muito num massagista que dava as doses aos jogadores...
Sim. Ele gabava-se que tinha uma pessoa controlada no Centro Nacional Anti-Doping e sabia sempre com antecedência em que jogos eram feitos os controlos. Dava-nos o doping, dizendo que dava mais força no campo. E era verdade.

Relata o uso de juniores como cobaias para as dosagens. Não o chocava ver miúdos a serem usados assim?
Para quem está neste meio há muitos anos, há situações que nos passam ao lado. Não íamos fazer nada, nem denunciar a situação ao treinador ou ao presidente. Era impossível. Eu estava ali de passagem, não tinha nada a ver com aquilo. Mas foi uma das situações mais complicadas a que assisti.

O uso de doping era generalizado?
Falava-se muito disso entre os jogadores. Acontecia mais nos clubes pequenos e intermédios, que não queriam descer de divisão ou lutavam por um lugar na UEFA. Talvez só os grandes estivessem fora deste esquema.

Contou à sua mulher que se dopava?
Não era preciso, ela sabia. Uma pessoa que me conhecia há tantos anos sabia que eu não fazia mal a ninguém. E naqueles dias ficava completamente alterado. Nem com a minha filha mais velha queria falar. Estraguei a minha vida particular com o doping. Era fácil que ela percebesse, até porque o cheiro do meu corpo quando estava dopado era mau. A droga saía por todos os poros.

E diz que não se arrepende.
A bola deu-me coisas boas. Passei pelos cinco clubes campeões nacionais, mas não ganhei fortunas. Tenho de trabalhar para viver.

Nem mesmo depois de ter sido excluído pelo seleccionador para um campeonato da Europa, como refere no livro, por estar esgotado depois de uma época com doping?
Não. Porque a minha pré-convocatória para essa fase final abriu-me portas para ingressar num grande clube.

Nota hoje que o doping lhe tenha causado algum dano físico?
Não, até porque não tomei assim tantas vezes.

Era generalizada a procura de acompanhantes por futebolistas durante os estágios?
Não. Presenciei no máximo umas três a quatro vezes episódios como esses em estágios da selecção. E eram poucos os futebolistas que o faziam. Eu não alinhava. Sempre fumei quando jogava à bola, fiz muita porcaria, mas não sentia necessidade de ter mulheres, profissionais ou não, às escondidas. Mas esses jogadores não jogavam pior no dia seguinte.


Pequenos excertos do livro Jogo Sujo

DOPING
"Tomei doping de todas as vezes que me foi dado. E quem recusasse tomar alguma coisa, provavelmente ficaria sem jogar. Nunca vi um único colega insurgir-se contra esta situação"


MILHO NO BALNEÁRIO
"Havia jogos em que entrávamos no balneário e perguntávamos: onde está o milho? Aparecia o massagista com uma bandeja recheada de seringas para dar a cada um. Parecíamos galinhas de volta do prato, à espera da vez"


O SEGREDO
"Tenho todo o prazer em explicar-te qual era o segredo: uma pequena vacina, do tamanho de uma meia unha, chamada Pervitin. Espetavam-nos aquilo no braço e dava para correr e saltar quatro jogos de seguida"


COBAIAS
"Em certos treinos víamos um ou dois juniores que apareciam para treinar. Estavam ali para servirem de cobaias as novas dosagens"


BENFICA
"Assinei pelo Benfica na casa da Leonor Pinhão e do João Botelho"


FILHA
"Eu chegava a casa com tremendas ressacas de mau humor e nem sequer tinha paciência para brincar com ela"


SELECÇÃO NACIONAL
"Durante os estágios era fácil subir com uma mulher desconhecida para o quarto e ter uma boa noite de sexo"


Entrevista ao jornal Expresso

segunda-feira, junho 29, 2009

BRASIL VENCE TAÇA DAS CONFEDERAÇÕES

Brasil venceu na final os E.U.A
por 3 a 2 depois de estar a perder 2 a 0 ao intervalo.

O AMOR VISTO PELAS CRIANÇAS

-Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor. Rebeca, 8 anos


-Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa. Billy, 4 anos


-O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro. Karl, 5 anos


-O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele. Chrissy, 6 anos


-O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado. Terri, 4 anos


-O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom. Danny, 7 anos


-O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. Eles são um bocado nojentos quando se beijam. Emily, 8 anos


-O amor é aquilo que está contigo na sala, no Natal, se parares de abrir os presentes e escutares com atenção. Bobby, 7 anos


-Se queres aprender mais sobre o amor, deves começar por um amigo que odeies. Nikka, 6 anos


-O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias. Noelle, 7 anos




-O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem. Tommy, 6 anos



-Durante o meu recital de piano, eu estava no palco e sentia-me apavorada. Olhei para todas as pessoas que estavam a olhar para mim, e reparei no meu pai que estava a acenar-me e a sorrir. Era a única pessoa a fazer aquilo. O medo desapareceu. Cindy, 8 anos



-A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir. Clare, 6 anos



Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha. Elaine, 5 anos



-Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford. Chris, 7 anos



-Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia . Mary Ann, 4 anos


-Eu sei que a minha irmã mais velha me ama, porque me dá todas as roupas usadas e tem de ir comprar outras. Lauren, 4 anos



-Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti. Karen, 7 anos



-Amor é quando a mamã vê o papá na casa de banho e não acha isso indecente. Mark, 6 anos



-Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se . Jessica, 8 anos

OS CONTEMPORÂNEOS

domingo, junho 28, 2009

BANDIDOS À SOLTA!


Um grupo de 20 elementos da claque Super Dragões, afecta ao FC Porto, provocou hoje três feridos ligeiros e destruiu o interior de uma pastelaria, em Lagoa, onde decorre a final da Taça de Portugal de andebol.

Os desacatos provocados pelo grupo da claque de apoio ao FC Porto, liderado por Fernando Madureira, levaram à intervenção dos cerca de 10 elementos da GNR que se encontravam no local e que conseguiram acalmar os ânimos, mas não efectuou qualquer detenção.

Em declarações à agência Lusa, a proprietária da pastelaria, situada junto ao pavilhão Jacinto Correia, disse que «os elementos da claque do Porto entraram no estabelecimento e começaram a partir tudo, sem mais, nem menos».

«Partiram tudo, mesas cadeiras, arrancaram o extintor e agrediram um jovem que estava na esplanada», disse a proprietária que teve de encerrar o estabelecimento por este ter ficado sem condições para continuar a funcionar.

Por seu turno, o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, disse à Lusa que «o grupo reagiu aos insultos de dois ou três jovens que estavam na esplanada com camisolas da claque dos No Name Boys, afecta ao Benfica».

«Fomos provocados e reagimos», disse Madureira, acrescentando que se vai responsabilizar e pagar «todos os estragos provocados pelo grupo».

Depois de identificado pela GNR, Fernando Madureira e os restantes elementos da claque portista entraram no Pavilhão Jacinto Correia, para assistir ao jogo da final da Taça de Portugal em andebol, entre o FC Porto e o ABC de Braga.

Tenho algumas questões sobre tudo isto, primeira, a dona do estabelecimento diz que entraram no café e partiram tudo. O Madureira diz que reagiram a 3 indivíduos que estavam na esplanada. Então porque partiram o café todo? (muito estranho)

Segunda questão, porque razão estavam ali 3 indivíduos com a camisola da claque do Benfica se o Benfica nem participava do jogo? (muito estranho)

Terceira pergunta, porque razão estes indivíduos desordeiros e destruidores não foram detidos e ainda puderam ir ao pavilhão assistir ao jogo depois de destruírem um café inteiro? (muito estranho)

Penúltima pergunta, este individuo chamado Madureira, conhecido e reconhecido por tudo em que já participou, diz que se responsabiliza pelas despesas dos estragos causados. Mas onde arranja ele o dinheiro? (muito estranho)

Última pergunta, para quando justiça neste nosso Portugal?

Certezas tenho muitas! Esta claque conduzida por este Madureira tem o apoio do Srº Pinto da costa, afinal de contas são eles parte integrante da segurança do mesmo. Qualquer um de nós percebe que destruíram para depois colocar a culpa no mesmo de sempre, o Benfica e os No Name Boys.

Quem paga todos os prejuízos também sabemos bem quem será, não é assim Srº Jorge Nuno?

NÃO TE DEIXAREI MORRER PETER PAN

Michael Jackson viveu refém da criança que nos anos 60 se tornou uma estrela

Por cada vez que Michael Jackson ouviu chamar-lhe "Rei da Pop", alguém nas suas costas gritou "Wacko Jacko". Era um termo que muitos achavam apropriado às suas excentricidades: as roupas, a mudança de cor de pele, as luvas, as meias brancas, as danças esquisitas e, acima de tudo, o rancho, as crianças em volta, etc.

Em entrevistas Jackson manifestava a sua dor com o termo, o seu espanto com a crueldade do termo, aprestando-se depois a perdoar quem assim lhe chamava.

O que causava impressão não era Jackson ficar ofendido com o que na prática era um insulto, mas sim a sua incredulidade: ele parecia não acreditar que seres humanos adultos pudessem conscientemente magoar outros seres humanos. Ele parecia não acreditar que mesmo sendo o maior ícone pop não estava a salvo do desprezo do homem comum. Parecia não acreditar que apesar de ser o maior ícone pop do mundo não era aceite.

Jackson revelou sempre uma total incapacidade de se distanciar dos comentários de anónimos, a incapacidade de desenvolver uma carapaça adulta. Como uma criança acossada pelos empurrões injustos dos colegas de recreio, queixava-se dos meninos maus sem perceber que essa era a regra do jogo: quem se põe a jeito leva.

Faz sentido compará-lo com uma criança - e ele certamente gostaria disso. Jackson tinha uma obsessão com uma ideia de pureza infantil, o que o levava não raras vezes a comportar-se como uma espécie de Cristo redentor cuja boa nova era o regresso da inocência.

Essa sua obsessão pessoal com a infância alastrou tanto para a sua vida pessoal como para o seu imaginário criativo: compare-se as imagens de Jackson no rancho Neverland ou no palco - não parece haver barreira entre os dois universos, e em ambos os casos temos fantasias infantis em que Jackson desempenha o papel de salvador imbuído de uma pancaridade. Essa sua obsessão pessoal ignorava que as crianças, mesmo as mais bem formadas, são muitas vezes cruéis e impiedosas.

Uma das mais impressionantes provas da regressão infantil de Jackson, a que o mundo chamou "complexo de Peter Pan", está nesse lugar infantil a que regredia quando tinha de responder a uma pergunta de um jornalista. No desespero com que se esforçava por demonstrar que a sua vida era regida apenas por bons sentimentos, na sua voz impossivelmente doce.

No final da década de 90, Barbara Walters inquiriu-o acerca desse "Wacko Jacko". Como sempre ele confessou a sua mágoa, para depois afirmar que tinha receio que chamassem ao filho "Wacko Jacko's son". O que se segue é um sinal da imaturidade de Jackson e do seu alheamento do real.

Barbara Walters: Como é que vai evitar que lhe chamem [Wacko Jacko's son]?

Michael: Pois, isso... É essa a ideia. Talvez a Barbara possa arranjar um plano para me ajudar.

Barbara: Você é que é o pai.

A resposta de Walters é quase cruel, mas compreensível, visto não haver qualquer ironia na resposta de Jackson. A imagem que Jackson passa é a de alguém que não tomou consciência de ser o responsável pela criança. Quando pensamos na imagem de Jackson segurando o filho ainda bebé pelos braços na varanda de um hotel de Berlim, exibindo-o perigosamente para os fãs, como uma criança a mostrar um brinquedo novo aos coleguinhas, é difícil não pensar que aquele homem não estava preparado para ser pai. Na realidade, talvez ele não estivesse sequer preparado para ser pai de si próprio.


Vida de adulto?

A vida de adulto de Jackson não foi propriamente uma vida de adulto: sim, casou, teve filhos, tinha obrigações profissionais.

O seu pathos foi o de um homem empenhado em melhorar uma ideia de infância e depois habitá-la. Digamos que Jackson foi perseguido pelo fantasma do seu estrelato infantil e recusou-se a abandonar esse reino.


Olhem para as imagens dos Jackson 5 que encontrarem no YouTube. Ele é irresistível: minúsculo, com boa voz, possuído por uma naturalidade rara - só podia encantar. As actuações, as fotos, projectam um universo de perfeição imaculada, de pureza solar, de intensa alegria: calças amarelas e vermelhas, camisas às flores, criança precoce de passos de dança herdados de James Brown.

É aqui que nasce o complexo de Peter Pan de Jackson: na distância entre esse mundo imaginário (esse construído) e o real.


Jackson não foi, na prática, uma criança: com cinco anos de idade era obrigado pelo pai a subir aos palcos à força de muita pancada. O pai violentou-o desde cedo, escravizou-o, ao ponto de Jackson nunca ter brincado com crianças no pátio, ou, como disse em 93 a Oprah, nunca ter tido festas de pijama.

Essa (dolorosa) entrevista não só é reveladora da tragédia que Jackson sofreu, como também demonstra o grau de "desligamento" com que o Rei da pop via a idade adulta. Referindo-se à sua infância (nove, dez anos), Jackson dizia: "Ia gravar e via as crianças a brincar no parque e chorava porque tinha de gravar dez horas por dia." Jackson revela que era alvo das agressões do pai, revela que este pai o gozava por ter acne e lhe dizia que era feio. Jackson revela ainda que já adulto e durante anos vomitava de cada vez que via o pai. E a cada revelação pede desculpa ao pai.

Nessa tremenda entrevista ele revela ainda que se identifica com o Homem-Elefante, e diz: "Adoro fazer coisas pelas crianças e imitar Jesus."

Na altura em que conversou com Oprah estava há 14 anos sem dar uma entrevista à televisão. Em 1982, na primeira entrevista que deu sem acompanhamento da família, disse ao repórter: "Se eu falo, digo o que está na minha cabeça e isso soa estranho ao ouvido das pessoas, porque eu digo tudo." O seu posterior silêncio soa a paranóia, a medo do confronto com o mundo dos adultos, em que as acções têm de ser justificadas.

1982 foi o ano em que lançou Thriller. Foi o ano em que realizou a primeira operação plástica, uma redução do nariz, e em que cortou a carapinha, numa espécie de primeiro processo de "branqueamento" do rosto. Esse caminho em direcção a uma pele, um queixo, um nariz, uma fácies branca é curioso, porque Jackson surgiu numa época em que, na música (e na Motown, a sua editora), os negros tentavam desesperadamente ser aceites pelos brancos. Pormenor: nessa entrevista de 1982 Jackson revelou a sua tristeza por o primeiro disco, Off The Wall, só lhe ter valido um Grammy, e na categoria R&B (em vez de pop).

Foi igualmente nessa altura que Jackson ganhou o hábito de, aos domingos, dançar em jejum até desfalecer. Foi igualmente nesse ano que despediu o pai da função de manager. Também nesse ano aproveitou e vendeu a mansão da família. Foi viver com a irmã Jackson para um subúrbio de LA. No jardim tinham algumas estátuas. A preferida de Jackson era uma representação de Narciso. Michael chamou à estátua Michael. Talvez tenha começado aí o seu crescendo de desequilíbrio, à medida que a sua popularidade tomou proporções nunca vistas. A fama, disse, deixava-o "triste e só". A Barbara Walters confessou que por não poder ir a um parque de diversões em paz, sem ser seguido, trouxe um para dentro de casa. Começou aí a executar um movimento de fechamento. De certo modo ficou apenas com o seu universo musical e visual. O que faz sentido, se pensarmos que nunca foi à escola (teve tutores desde cedo) e que mesmo antes de saber ler já subia aos palcos. Faz sentido, se pensarmos que nunca aprendeu a sociabilizar - mesmo entre os irmãos desde cedo era a estrela. O entertainment foi o único universo que conheceu: cantar, dançar, ser olhado e admirado. Veja-se o resultado, mais de 30 anos depois, na prestação nos Brit Awards em 1996: Jackson encena-se como Cristo, rodeado de crianças. No fim, sobe aos céus.

O que há de interessante (em termos de leitura) nessa infância perdida está no facto de toda a alegria dessa época derivar de encenação - dos concertos, das aparições na TV, etc. Quando o vemos no vídeo de Black or White rodeado de leões, russos a dançar, indianas, índios e cowboys, etc., é como se ele estivesse apenas a ampliar o universo de fantasia. Como se estivesse inundado de infância e de omnipotência, em contraste com a sua vida pessoal.

Jackson tornou-se uma espécie de presa do seu próprio imaginário, um Cristo de fantasia que sacrificou a sua sanidade mental em favor de um mundo onírico, protopuro, regressivo.


Um dia disse: "No meu coração serei sempre Peter Pan."

texto: João Bonifácio (Jornal O Público)

REFORÇOS ESTÃO A CHEGAR

José Shaffer chegou ao fim da noite a Lisboa, depois de uma ligação de 26 horas desde a Argentina.

«Estou muito cansado, mas muito feliz», disse apenas à chegada ao aeroporto da Portela, com o relógio quase a bater na meia-noite.

O lateral-esquerdo cumpriu uma viagem de 26 horas, tendo estado várias horas à espera de ligação para Portugal em Madrid. No total, 26 horas.


Javier Saviola chega hoje a Lisboa depois de ter saído de Buenos Aires ontem ao início da noite.

O jogador viaja directo para Madrid onde irá permanecer escassas horas, o tempo necessário para ir a casa buscar alguns bens essenciais à mudança para a capital portuguesa.

O internacional argentino chega à Portela durante a tarde e pode ser apresentado ao começo da noite. Amanhã estará no Seixal às ordens de Jorge Jesus.


Javier Saviola viaja no domingo para Lisboa. Em entrevista a A BOLA, o avançado argentino está honrado com a determinação do Benfica na sua contratação e sublinha qualidade do plantel dos encarnados.

«Estive a ver o plantel do Benfica e, sinceramente, é um grupo com muita qualidade e potencial. Podemos construir uma equipa muito competitiva, capaz de lutar pela vitória em todas as frentes», frisou o jogador, contratado ao Real Madrid por cinco milhões de euros.

«O Benfica é um clube muito importante em Portugal e na Europa. O Aimar disse-me coisas muito boas, mas o que pesou verdadeiramente foi ver a determinação do Rui Costa, do presidente do Benfica e da equipa técnica em contratarem-me, em apostarem em mim. Senti-me muito desejado, não consegui resistir», continuou.

«É muito lindo depositarem tanta confiança em mim. Isso deixa-me orgulhoso e motivado, quero muito corresponder. O meu objectivo é voltar a jogar com regularidade, o que não aconteceu nos últimos tempos. Quero sentir-me novamente útil e importante», atestou Saviola, que vai ficar nas próximas três épocas na Luz, com mais uma de opção.

REAL MADRID QUER RONALDO CASADO


Decidido a afastar o craque português do assédio da imprensa ‘cor-de-rosa’, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, veria com muito bons olhos a subida de Cristiano Ronaldo ao altar.

A contratação de guarda-costas, como sucedeu com David Beckham, pode ser inevitável.
«Preocupa-nos tudo o que possa rodear o Cristiano. Se for necessário, o clube contratará guarda-costas», disse o director desportivo do Real Madrid, Jorge Valdano.

De acordo com o diário catalão ‘Mundo Deportivo’, o líder
merengue poderá ir mais longe e tentar convencer o jogador a casar-se e a ter filhos, para assim viver mais tranquilo, longe das objectivas dos 'paparazzi'.

COMUNICADO DO SPORT LISBOA E BENFICA


Jogo decisivo para o campeonato de juniores Sporting-Benfica foi interrompido por cenas de violência entre claques, quando os adeptos do Benfica entraram nas instalações da academia de Alcochete para assistir à partida.

Num comunicado publicado no site, o Benfica mostra o seu desagrado pelos acontecimentos durante o Sporting-Benfica, criticando a escolha do recinto, as declarações «parciais» dos sportinguistas e reclamando também agressões aos adeptos benfiquistas.

«O Sport Lisboa e Benfica lamenta os incidentes ocorridos durante o jogo disputado na tarde de sábado, entre o Sporting Clube de Portugal e o Sport Lisboa e Benfica a contar para o Campeonato Nacional de Juniores, em Alcochete.
Lamenta que a única reacção dos responsáveis do Sporting Clube de Portugal tenha sido um repetido refutar de responsabilidades quando a organização do jogo lhes competia por inteiro.

Recorda que, em várias ocasiões, os responsáveis do Sport Lisboa e Benfica alertaram a Federação Portuguesa de Futebol e o Sporting Clube de Portugal de que a Academia de Alcochete não reunia as condições necessárias para realizar um jogo com a importância de que este se revestia. Lamenta que os adeptos do Sport Lisboa e Benfica, à entrada do recinto da Academia de Alcochete tenham sido apedrejados, como as forças de segurança poderão testemunhar, mas que os responsáveis do Sporting Clube de Portugal parecem querer omitir.

Lamenta ainda que, apesar das atitudes intimidatórias e algumas tentativas de agressão a que foram sujeitos alguns membros da Direcção do Sport Lisboa e Benfica e um Administrador, presentes no recinto, não tenha havido, até agora, um único pedido de desculpas por parte do Sporting Clube de Portugal.

Lamenta a forma precipitada com que os responsáveis do Sporting Clube de Portugal produziram declarações cujo teor repudiamos, por traduzirem uma visão parcial e desfocada do que foram os acontecimentos ocorridos durante a tarde de sábado em Alcochete.»


Bruno Carvalho em campanha


O candidato à presidência do Benfica mostrou-se insatisfeito com a contratação de Javier Saviola por considerar que o argentino «vem para passar férias».

«Não fiquei nada satisfeito. A contratação do Saviola é igual à do Aimar. Se fossem mesmo bons, se estivessem na parte boa da carreira, não vinham para o Benfica. Só vem para passar férias», disse num jantar com apoiantes em Lisboa.

Bruno Carvalho continuou irónico e prometeu Nuno Gomes: «Com estes jogadores o Benfica vai fazer boa figura no Torneio do Guadiana. Só prometo um jogador, o Nuno Gomes. É uma vergonha o Benfica ainda não ter renovado com o seu capitão.»

AS MINHAS MÚSICAS

TRIBUTO A MICHAEL JACKSON

FOTOS FABULOSAS!

Havaiano tira fotografias do interior de ondas

Um ex-surfista americano agora dedica-se a uma actividade inusitada: fotografar ondas dentro delas.

Clark Little, de 39 anos, começou a fazer as imagens depois que sua a mulher manifestou o desejo de ter uma fotografia para decorar a casa do casal, no Havaí


Há dois anos, ele vive do dinheiro que ganha com a venda das fotografias.

"O mar é minha segunda casa e eu amo o que faço", disse Little. "Não existe para mim aquela sensação de encarar o trabalho como uma obrigação."

O fotógrafo conta que para obter as melhores imagens, utiliza uma câmara capaz de obter até dez fotografias por segundo.

As ondas que ele encara variam entre 90 cm e 4,5 m.

Muitas vezes, chegou a ser lançado até 10 m de distância da sua localização original.


"Sempre existe um risco para mim, por conta da força e tamanho das ondas. Mas a minha experiência como surfista deixa-me à vontade para encarar as ondas sem medo", afirmou.

sábado, junho 27, 2009

CRONOLOGIA DE MICHAEL JACKSON

29 de Agosto de 1958: Michael Joseph Jackson nasce em Gary, Indiana, no estado de Illinois. É o sétimo filho de Joseph Walker e Katherine Esther. O pai era membro da banda de R&B The Falcons.


Leva uma educação rígida, manchada pela agressividade do pai. Uma noite, Joseph entrou pela janela do quarto de Michael com uma máscara para o ensinar a nunca mais deixar a janela aberta durante a noite. Em 1993, numa entrevista à Oprah, confessa ter crescido com pesadelos dessa noite.


1963: Com cinco anos, revela os primeiros sinais de talento numa recital de Natal da escola


1964: Forma os Jackson Brothers com os irmãos Jackie, Tito, Jermaine e Marlon. O sucesso abre-lhe as portas junto das editoras.


1966: O grupo passa a chamar-se The Jackson 5. Fazem tournée pelo midwest americano. Abrem espectáculos de striptease. Um reverendo apresenta-os à Motown, num concurso de talentos. Michael seduz com uma versão de "I Got You", de James Brown.


1968: Começam a gravar com a Motown Records, a editora de Berry Gordy Jr que catapultou as vozes soul e R&B e que arriscou girls-bands como as Supremes.


1969: A revista Rolling Stone chama-lhe prodígio. A Motown apresenta Jackson como tendo nove anos, quando na realidade tem 11. Cantam Ray Charles e Stevie Wonder.


1972: Editam "Got to Be Here" e "Ben", os dois primeiros discos na discografia de Michael Jackson. Ben vendeu mais de um milhão de cópias e chegou ao top das tabelas americanas. A canção homónima "Ben" e uma adaptação de "My Girl" das Temptations" marcam o registo.


1975: As vendas quebram e os Jackson 5 deixam a Mowton. Assinam com a CBS Records, mais tarde Epic, e passam a chamar-se Jacksons. Michael assume o definitivo lugar de protagonista, passando a compor. Tinha problemas por ser mais franzino que os jovens da sua idade.


1978: A fama rebenta. Protagoniza o The Wiz, um musical produzido pela Motwon com a participação da Supreme Diana Ross. Quincy Jones está por detrás do projecto e aceita produzir o terceiro álbum de Jackson, e primeiro a solo, "Off the Wall". É editado no mesmo ano. A Rolling Stone elogia a "maturidade" do rapaz dos Jackson 5.


1979: Parte o nariz durante uma actuação e faz a primeira rinoplastia. A operação não corre bem e tem de ser repetida.


1980: Ganha três American Music Awards, dois prémios da Billboard e um Grammy para Melhor Voz Masculina de R&B. Consegue os maiores direitos de autor da história da música até ao momento - 37% dos lucros da venda de "Off the Wall".

1982: Reconhecido, é convidado por Spielberg para assinar a banda-sonora de "E.T.". Compõe "Someone in the dark".


30 de Novembro de 1982: A Epic edita "Thriller". A produção custa 750 mil dólares. O disco terá vendido entre 47 e 109 milhões de cópias em todo o mundo. Entrou no Guiness por ter vendido 65 milhões de cópias em 2007, no 25º aniversário da edição. Durante meses, as tabelas não largaram canções como "Billie Jean", "Beat It" e "Wanna Be Startin' Somethin'". É editado um documentário com o making-of do álbum.


1983: 47 milhões de espectadores assistem à reunião dos Jackson 5 para a festa dos 25 anos da Mowtown.

1984: Jackson sofre uma queimadura de segundo grau no couro cabeludo durante as filmagens de um anúncio para a Pepsi. Faz a terceira rinoplastia pouco tempo depois.


1985: Escreve com Lionel Richie a canção "We Are the World", cantado por 39 celebridades numa iniciativa destinada a apoiar África. Vendem 20 milhões de cópias. Causa polémica ao adoptar um chimpanzé, que recebe o nome de Bubbles.


1986: Tablóides sugerem que Michael Jackson dorme numa câmara de oxigénio. Há uma foto a confirmar. O objectivo seria a vida eterna. Recebe a alcunha de peterpan da Pop.


1987: Edita "Bad"


1988: Michael Jackson muda-se de Encino para o rancho Neverland. Faz uma operação para reconstruir o queixo.


1990: Começa a utilizar uma máscara em público.


1991: Edita "Dangerous", o oitavo álbum. Vende mais depressa que o anterior. A carreira continua no auge. Faz um cruzeiro com o "sozinho em casa" Macaulay Culkin, com 11 anos, que negou sempre as suspeitas de Michael Jackson teria abusado dele.


1992: Cria a Fnudação Heal the World, de apoio a crianças. Desabafa com Oprah que sofre uma doença genética chamada Vitiligo, doença que provoca a perda de pigmentação da pele. A explicação nunca convence , havendo a forte de suspeita de que sofreu várias alterações para mudar a cor da pele. Uma aldeia no Gabão coroa-o rei.


1993: É acusado de ter abusar de Jordan Chandlen, rapaz com 13 anos. O caso fica conhecido em todo o mundo e é arquivado com um acordo amigável. A relação de Michael com jovens e crianças é questionada.


1994: Casa com a filha de Elvis, Lisa Marie Presley. Divorciar-se-ia 18 meses mais tarde.


1996: Correm rumores de que casou com a secretária do dermatologista Debbie Rowe. Um ano mais tarde, diz que Rowes, uma amiga, está grávida do seu primeiro filho. A criança nasce em Fevereiro de 2007. Chama-se Prince Michael Joseph, Junior. Elizabeth Taylor e Macaulay Culkin apadrinham o rapaz.


1998: Nasce a filha Paris Michael Katherine. Culkin é o padrinho.


2001: Lança "Invincible". O álbum vente oito milhões de cópias. A imagem do cantor segue manchada com as suspeitas de pedofilia. É inscrito no "Rock and Roll Hall of Fame".


2002: Nasce o terceiro filho: Prince Michael II. A identidade da mãe não revelada. Choca o mundo ao aparecer numa varanda de um hotel de Berlim e pendurá-lo por uma perna. A criança é-lhe retirada.


2005: Começa a ser julgado por crimes de pedofilia. Declara-se inocente. As provas não indiciam crimes sexuais. Culkin testemunha em tribunal nunca ter sido abusado. O julgamento dura seis meses e absolve o cantor.


Novembro de 2006: Depois de um retiro de vários meses, aparece em Londres a convite do Guinness World Records. "Estou na indústria musical desde os seis anos. Como diz Charles Dickens, foram os melhores tempos e os piores tempos. Não vou mudar a minha carreira. Enquanto alguns tentaram magoar-me deliberadamente, aguento porque tenho uma família carinhosa, uma fé forte e amigos e fãs maravilhosos que continuam a apoiar-me", diz.


2007: O 25º aniversário de Thriller marca o regresso público. A reedição do álbum e uma canção original "For All Time", não rebentam as tabelas mas mostram um culto que não esmorece. Thriller 25 vende três milhões de cópias em 12 semanas.


2008: Celebra os 50 anos em Agosto, num ano em que também atinge o meio século a rainha da pop e amiga Madonna. A Sony edita "King of Pop", colectânea com alinhamentos diferentes de país para país, consoante a votação dos fãs. Apesar do entusiasmo, alegados problemas de finanças obrigam Jackson a deixar Neveland, mantendo no entanto uma participação de 35 milhões de dólares no valor da propriedade. Correm rumores de que tem cancro da pele e está à beira da morte. O porta-voz desmente.


2009: Jackson anuncia o regresso aos palcos com uma tournée de 50 datas marcadas para a Arena O2 em Londres, a partir de 13 de Julho. Esgota. Numa conferência de imprensa, sugere que a digressão intitulada "This is It" é uma despedida da música.


25 de Junho: Sofre uma paragem cardio-respiratória e entra em coma profundo por volta do meio-dia (hora local). É declarado morto uma hora depois no Centro Médico de Los Angeles.

FRASE DO DIA

MADONNA
"Não consigo parar de chorar."

a respeito da morte de Michael Jackson...


José Sócrates também!

mas por outros motivos...

ATÉ A MIM ME SURPREENDEU!

Eleições legislativas
Barómetro coloca PSD à frente pela primeira vez


Pela primeira vez, desde que está na oposição, o PSD assume a dianteira no Barómetro, a sondagem efectuada pela Marktest para a TSF e Diário Económico, ainda que tecnicamente esteja empatado com o PS. Mesmo assim, José Sócrates reforça o índice de popularidade, noticia a TSF.


No rescaldo das eleições europeias, o PSD é o único partido a crescer em relação ao mês passado. Segundo avançou esta noite a TSF, regista 35,8 por cento de intenções de voto nas eleições legislativas, contra os 34,5 por cento do PS.

A TSF destaca o salto social-democrata de sete pontos e meio em relação ao mês passado e a equivalente subida na popularidade da líder no barómetro geral e entre aqueles que dizem votar no PSD. Manuela Ferreira Leite aproxima-se agora dos valores de José Sócrates, embora permaneça no fundo da tabela.

O Bloco de Esquerda – em terceiro – com 13,1 por cento reforça a distância em relação ao PCP, que recolhe 9,4 por cento. Tendência que se mantém na avaliação dos líderes, com Francisco Louçã com vantagem em relação a Jerónimo de Sousa.

Em relação ao CDS, o Barómetro atribui 4,4 por cento contra os 7,1 por cento do mês passado.

A sondagem efectuada pela Marktest para a TSF e Diário Económico realizou-se entre 16 e 20 de Junho de 2009, com o objectivo de analisar a intenção de voto nas eleições legislativas.

sexta-feira, junho 26, 2009

SAVIOLA 3 ANOS NO BENFICA

Saviola é o novo reforço do Benfica. Os encarnados chegaram "a acordo com o Real Madrid para a transferência, a título definitivo, da totalidade dos direitos desportivos e económicos do atleta Javier Pedro Saviola Fernandez por um valor de 5.000.000 cinco milhões de euros", lê-se no comunicado enviado pelo clube da Luz à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O Benfica informa também que "chegou a um princípio de acordo com o referido atleta para a celebração de um contrato de trabalho desportivo para vigorar nas próximas três épocas desportivas,sendo ainda concedida a faculdade à Sociedade para a prorrogação deste contrato de trabalho por mais uma".

O internacional argentino, 27 anos, que já representou River Plate, Barcelona, Monaco, Sevilha e Real Madrid, apenas participou em 8 jogos pelos "merengues" na última edição da liga espanhola, onde apontou 1 golo. Javier Saviola é a quarta contratação para Jorge Jesus, depois de Patric, Shaffer e Ramires.

Em comunicado enviado à CMVM (leia aqui) a SAD do Benfica informa que o avançado argentino assinará contrato por três temporadas, mais uma de opção, tendo as águias de pagar 5 milhões de euros ao Real Madrid pelo passe do futebolista.

Opinião de Pablo Aimar:

"Saviola é uma dádiva que o céu deu ao futebol". A frase é da autoria de Pablo Aimar, grande amigo de Saviola desde o final da década de 90, quando o médio, então com 19 anos, e o avançado, com 17, corriam para casa do segundo para comer batatas fritas e massas que a mãe do Javier confecionava para ambos. As épocas em que a dupla fez miséria nos adversários do campeonato não mais saíram da memória dos dois amigos que a Europa chamou no mesmo ano: 2001.

"Javier [Saviola] é um fenómeno e tem de jogar em qualquer clube, em qualquer equipa. É um craque. Quantos golos marcou na sua primeira temporada [no River Plate]? Mais de 20? Viste, os mesmos que no ano passado. Mas com o tempo isso vai estabilizar, claro. Para mim, é um craque impressionante", admitiu Aimar há alguns anos, sobre o compatriota.

BENFICA E SAGRES 12 ANOS DE CONTRATO

O presidente do Benfica, após ter assinado um contrato de patrocínio de 12 anos com a Sociedade Central de Cervejas, garantiu que o futuro do Benfica foi «salvaguardado» e que tinha toda a legitimidade para fazer um contrato de longa duração.

«Neste caso não devo ser criticado, porque a administração do Benfica está em pleno exercício. Temos vindo a negociar esta parceria desde o princípio do ano e penso que qualquer direcção do Benfica irá ter um grande orgulho neste contrato», afirmou Luís Filipe Vieira, no Centro Cultural de Belém.

Mesmo sem revelar os valores do patrocínio, o presidente do Benfica alegou que os benfiquistas devem estar descansados: «Penso que esta administração já habituou os benfiquistas ao que nós conseguimos alcançar em termos contratuais. Nós salvaguardámos o futuro do Benfica.»

É caso para dizer: Sai uma Sagres fresquinha!

O DIA EM QUE A MÚSICA POP MORREU

Este foi “o dia em que a música pop morreu”, decretou a imprensa norte-americana, assim que foi confirmada a morte de Michael Jackson, na tarde de quinta-feira em Los Angeles. Imediatamente, nas televisões e rádios, em comunicados, ou mensagens de Twitter, a comunidade artística americana reagiu à inesperada notícia. “Tal como com Elvis e os Beatles, é impossível calcular totalmente o impacto que ele teve no mundo da música”, resumia o "The New York Times".

Neil Portnow, o Presidente da Recording Academy, responsável pela atribuição dos prémios Grammy (Jackson venceu 13), falou em nome de toda a indústria no reconhecimento do carácter único de Michael. “Raras vezes no mundo aparece alguém com a magnitude de talento e visão artística de Michael Jackson. Ele era um verdadeiro ícone musical, com a sua voz particular, coreografia inovadora, impressionante versatilidade e um ‘star-power’ que lhe valeu a aclamação mundial. A sua carreira transcende géneros musicais e culturais e o seu contributo ficará para sempre no nosso coração”, declarou.

Alegadamente, Madonna não conseguiu parar de chorar depois de saber da morte de Michael Jackson. A sua agente emitiu uma reacção em nome da artista, dando conta da sua profunda admiração pelo trabalho de Jackson, a quem chamou “um dos maiores do mundo”.

A agente de Elizabeth Taylor, uma das melhores amigas de Michael Jackson, disse que a actriz ficou tão devastada com a notícia que não conseguia reagir. Brooke Shields, com quem Jackson manteve uma ligação fugaz na juventude, manifestou a sua consternação. “Ele era um amigo extraordinário e um grande artista. Junto-me à sua família e a todos os seus fãs na celebração da sua vida incrível e na tristeza pela sua morte tão prematura”, disse.

A jovem Miley Cyrus, que interpreta a popular Hannah Montana e é filha de uma das maiores estrelas da música country, Billy Ray Cyrus, escreveu no seu Twitter “Michael Jackson era a minha inspiração”. “Se não fosse por Michael Jackson, eu nunca estaria aqui nem seria quem sou”, desabafava o músico de hip-hop Ludacris. “A sua música e legado viverão para sempre”, acrescentava.

O músico Pete Wentz, dos Fall Out Boy, que fizeram uma versão da música “Beat It”, desabafava que nunca se tinha sentido tão emocionado com a morte de um artista. “Podia fazer uma tabela do meu crescimento, desde que nasci, através das músicas do Michael Jackson”, observou.

A cantora Beyoncé revelou que Michael Jackson foi o primeiro músico que viu ao vivo. “A minha mãe levou-me a um concerto dele quando eu tinha apenas dois anos. Obrigada, Michael, por teres sido o primeiro de muitos concertos”, disse.

Lisa Marie Presley, a primeira mulher de Michael Jackson, disse num comunicado que estava de “coração partido” com a notícia: “Esta é uma perda tão terrível que não tenho palavras”.

A crítica de música pop do diário “Los Angeles Times”, Ann Powers, destacava ontem o extraordinário contributo de Michael Jackson para a música popular, salientando o seu génio precursor. “Aos 24 anos, Michael Jackson era a personificação do poder vertiginoso da juventude. Para ele, as canções podiam ter o mesmo efeito dos clássicos contos infantis: elas podiam colorir os nossos sonhos e permanecer para sempre na nossa memória”.

PLAYBOY DO MÊS DE JULHO

RITA MENDES é a capa da Playboy do mês de Julho.

Farrah Fawcet morreu aos 62 anos

O cancro acabou por vencer Farrah Fawcett. A actriz morreu, ontem, em Los Angeles. O seu companheiro de há 30 anos, o actor Ryan O'Neal, não conseguiu ver o sonho de se casarem realizado. As homenagens à actriz multiplicam-se na internet, VEJA o VÍDEO de uma delas...





A actriz, que ficou conhecida como protagonista de Os Anjos de Charlie, morreu aos 62 anos. Farrah Fawcet lutava contra um cancro do cólon desde 2006 e acabou por sucumbir à doença esta quinta-feira.

O seu fiel companheiro de há quase 30 anos, que lhe havia finalmente arrancado o 'sim' para se casarem, não conseguiu ver o seu desejo realizado. Já não foi a tempo de abençoar a relação,

"Ela está agora com a sua mãe, com a sua irmã e com o seu Deus. Amava-a de todo o meu coração. Vou sentir muito a falta dela. Ela estava consciente e inconsciente. Falei com ela a noite toda. Disse o quanto a amava. Está agora num lugar melhor", afirmou Ryan O'Neal à People on-line.

Redmond, de 23 anos, o único filho do casal, está preso, devido a problemas com drogas, e não foi autorizado a despedir-se da mãe.

GONE TOO SOON

Vídeo do álbum Dangerous, de 1991.
Música dedicada por Michael Jackson a Ryan White, que morreu jovem vítima de AIDS.
Hoje dedicada pelo Pequeno Mundo ao próprio Michael Jackson.

WE ARE THE WORLD

quinta-feira, junho 25, 2009

MICHAEL JACKSON MORREU


O músico norte-americano Michael Jackson morreu hoje, adiantou a Associated Press. O músico foi encontrado em casa sem respirar por paramédicos e foi levado para um hospital em Los Angeles.

Sabe-se que Jackson, 50 anos, estava em sua casa quando chamou os paramédicos, cerca do meio-dia (hora local). Segundo o capitão Steve Ruda, o cantor já não respirava quando a ajuda chegou. Jackson recebeu então uma reanimação cardiopulmonar e foi levado numa ambulância para o centro
médico da Universidade de Los Angeles, Califórnia (UCLA). Segundo o jornal norte-americano, o músico chegou ao hospital já num coma profundo e terá morrido depois.

A notícia chega numa altura em que Michael Jackson se preparava para tentar um regresso a grandes espectáculos depois de anos de presença nos jornais devido a vários escândalos (incluindo o processo em que era acusado de molestar crianças sexualmente) do que pelos seus talentos para a música ou incríveis passos de dança. Tinha já marcada uma série de 50 espectáculos na Arena O2 em Londres – estavam já todos esgotados.


Nos últimos tempos Jackson estava a ensaiar este espectáculo, que teve o apoio de dois multimilionários que esperavam que estes concertos pudessem ser o primeiro passo para um relançamento da carreira de Jackson com uma tournée de três anos, um novo álbum, filmes, um museu como a Graceland de Elvis, musicais em Las Vegas e Macau e até um casino chamado “thriller”, diz o "Los Angeles Times".

Tudo isto serviria para tentar aliviar a enorme dívida de Jackson, que foi uma das famosas “vítimas” da chamada crise do subprime, com o seu rancho Neverland a ter sido salvo num último minuto de um leilão por Jackson que não conseguiu pagar a sua hipoteca.


Jackson sofreu várias metamorfoses ao longo das décadas. Do mais novo dos Jackson five - o adorável miúdo de 11 anos -, ao adolescente borbulhento, até ao autor dos passos de dança como o “moonwalk”. Isto para além de ter marcado a diferença também no vídeo, com "Thriller" a ser o mais longo, e “Bad” a contar com a realização de Martin Scorcese.










Muita coisa se disse e outras tantas se escrevam sobre Michael Jackson, desde abuso sexual de crianças à constante mutação do seu rosto.

Eu cresci a ouvir Michael Jackson, a ver todo o seu enorme talento para a música e dança. Uma das conclusões que tiro de todos estes anos é que Michael Jackson pode e deve ser comparado a Elvis Presley, ambos Reis da música em épocas diferentes.


Durante vários e longos anos pude ver a constante preocupação de Michael Jackson para com as crianças, animais e para com o planeta terra tanto a nível da destruição das florestas, das guerras como do clima.

Michael Jackson estava sempre disponível para tudo o que fosse caridade e ajudar os que precisam.

Hoje quando olharmos para o céu, poderemos ver que no meio de várias estrelas, há uma que brilha mais forte!

GEORGE MICHAEL FAZ HOJE 46 ANOS


George Michael é o meu maior idolo, nunca o escondi, desde 1980 e hoje não podia deixar de postar e desejar um feliz aniversário.

Deixo aqui a sua biografia retirada do Wikipédia.



George Michael (Londres, 25 de junho de 1963) é um cantor pop britânico que já vendeu mais de 100 milhões de álbuns.


Biografia
Seu nome de batismo é Geórgios Kyriácos Panayiótou (em grego Γιώργος-Κυριάκος Παναγιώτου), nascido East Finchley, na periferia da capital britânica, de pai greco-cipriota e mãe inglesa.

Em 1981 cria o Wham! com seu colega de colégio, Andrew Ridgeley. Até a sua separação, em 1986, este duo disco pop terá um grande número de sucessos ("Wake Me Up Before You Go-Go", "Everything She Wants"), sobretudo junto a um público de jovens adolescentes, na sua maioria feminino. Isso não o impede de tomar regularmente posição contra o governo de Margaret Thatcher.

Lança seu primeiro compacto solo em 1984, a balada "Careless Whisper", que se torna um hit mundial. Em 1987 lança "Faith", o primeiro álbum solo, cuja canção de trabalho é a muito sugestiva "I Want Your Sex", acompanhado por videoclipes luxuosos. Na encruzilhada do pop com o rhythm'n'blues, o disco vende no mundo todo mais de dez milhões de exemplares.

O álbum "Listen Without Prejudice, Vol. 1" é lançado em 1990, vivendo um conflito com o seu status de estrela, o cantor se recusa a conceder entrevistas e a aparecer nos seus clipes. Ele acusará a sua gravadora, a Sony, de ter deliberadamente sabotado as vendas do disco e de querer mantê-lo em estado de "escravidão profissional".

George Michael perde, em 1993, seu processo contra a Sony, mas triunfa no estádio de Wembley, acompanhando o grupo Queen, por ocasião do show em homenagem ao cantor Freddie Mercury, vitimado pela Aids/Sida.

Em 1998 George Michael é preso por atentado ao pudor dentro do banheiro público de um parque de Beverly Hills, onde ele cai numa armadilha armada por um policial à paisana. Seu amigo Elton John declara então que "um mictório não é o melhor lugar para assumir sua sexualidade".

No ano de 2002 ataca Tony Blair e George Bush, no início da guerra no Iraque, no compacto "Shoot the Dog". Os jornais de propriedade de Rupert Murdoch disparam uma campanha que visa a depreciar o cantor. Lança em 2004 o álbum "Patience", que vende "apenas" três milhões de exemplares. George Michael anuncia que, daqui para frente, ele quer difundir suas obras essencialmente na Internet.

Em 2005 canta no Live 8, em duo com Paul McCartney, e anuncia seu casamento com o companheiro, Kenny Goss, na esteira da adoção da lei britânica sobre as uniões civis.
Em
2006 ocorre o lançamento do filme-documentário "George Michael: Minha História", e preparação de uma nova compilação na qual devem constar duas músicas inéditas. Em outubro desse ano volta a ter problemas com a justiça, ao ser encontrado dormindo sobre o volante de seu carro.

George Michael regressou aos palcos em 12 de Maio de 2007 com um concerto em Coimbra, início de uma excursão européia.

Em maio de 2008, George Michael teve sua permissão para dirigir suspensa por dois anos, depois de ser considerado culpado por conduzir sob efeito de drogas.