quinta-feira, maio 22, 2008

O FUGITIVO


As semelhanças com Richard Kimble, o personagem de “O Fugitivo”, interpretado no celulóide por Harrison Ford, são pura coincidência.

João Vale e Azevedo, advogado e presidente do Benfica entre 1997 e 2000, está dado como fugitivo da Justiça. O último paradeiro conhecido é a capital inglesa, Londres, para onde se mudou depois de ter apresentado garantias de caução (que agora se sabe terem sido falsificadas) para a liberdade condicional, após ter cumprido três anos de prisão pelos casos Ovchinnikov e Euroárea.

Os crimes de falsificação e burla perseguem o ex-presidente das águias, agora a contas com uma nova condenação a sete anos e meio (e obrigado a pagar uma indemnização de 10 milhões de euros) devido ao caso Dantas da Cunha. A história ocorreu em 1997, quando Vale e Azevedo falsificou uma procuração para obter uma hipoteca junto da CGD, no valor de 7,5 milhões de euros, de um prédio no Areeiro pertença de Pedro Dantas da Cunha.

Mas as contas com a Justiça não ficam por aqui, pois o advogado interpôs recurso a uma pena de 5 anos de cadeia por burla aos proprietários de uma corticeira. Vale e Azevedo afirmou recentemente ao semanário “Sol” que espera pelo desfecho deste último caso para se apresentar ao juiz em Lisboa. Entretanto, o “CM” revelava ontem que a Interpol tinha um mandado europeu de captura para ele.



1 comentário:

portugal de caca disse...

É mesmo um cidadão europeu! Só é pena que uns roubem milhões e andem por aí a passear, e outros vão lá bater com as costas por roubarem um pão ou uma peça de fruta!...