terça-feira, outubro 20, 2009

ADMIRO JOSÉ SARAMAGO

José Saramago lançou o novo livro, “Caim”, e considerou a Bíblia “um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana”. Na sequência destas afirmações, reagiram vários representantes da Igreja Católica e da comunidade judaica em Portugal, criticando Saramago e acusando-o de estar a fazer um golpe publicitário para promover o livro.


No sítio pessoal na Internet, o vice-presidente do Partido Popular Europeu (PPE), eleito pelo PSD, escreveu: “Há uns anos, fez a ameaça de renunciar à cidadania portuguesa. Na altura, pensei quão ignóbil era esta atitude. Hoje, peço-lhe que a concretize... E depressa!”

“Tenho vergonha de o ter como compatriota! Ou julga que, a coberto da liberdade de expressão, se lhe aceitam todas as imbecilidades e impropérios?”, questiona o eurodeputado.

Opinião:
Eu tenho a mesmo opinião de José Saramago e não me parece que isso seja motivo para deixar de ser Português.


Será que só os cristãos podem ser portugueses? Será que não vivemos num pais livre onde podemos ter opinião???


Quem é afinal este senhor, que vive à nossa custa, passeia por Bruxelas e em nada contribui para a humanidade, para dizer este tipo de idiotices sobre o nosso Nobel da Literatura, alguém que tem muito mais inteligência a dormir do que ele acordado.


Já li a Bíblia e guarda-a em casa porque me foi oferecida por alguém da igreja, mas desde que a li que pergunto como é possivel ainda ser possivel alguém acreditar e ter fé num Deus castigador e malvado.
Estamos no Séc.XXI e ainda há gente que deixa os outros pensarem por si, é triste!

8 comentários:

Miguel disse...

Ter opinião, discordar de, não tem forçosamente de ser confundido com atacar. É verdade, a coberto de um Nobel cujo merecimento não posso aquilatar por desconhecimento da obra, Saramago abre a boca para soltar verborreias, impropérios de quem se julga intelectualmente acima da maioria. A Igreja não ataca ninguém ou quase ninguém. Quem quer acredita, quem não quiser é livre de o fazer. A Igreja teve um papel fundamental, ainda tem, no incentivar da fé e da esperança quando muitos, mesmo nao crentes, se encontram no mais fundo dos abismos. É um negócio? O que não é? Pode-se críticar, farto-me de o fazer, questionar os frágeis alicerces em que toda a sua organização se sustenta, mas não ofendo, porque não vejo porque ou devido à minha educação, felizmente acima de um Nobel da Literatura. E não me convençam que, aliado a tudo isso, o homem não quer publicitar o seu livro. Ah, tenho o filme Ensaio Sobre A Cegueira. Estive para vê-lo, mas ainda não arranjei motivação para isso.

lumadian disse...

Pois eu discordo Miguel.
Primeiro porque Saramago nem precisa publicitar nenhum livro, basta lançar um livro novo e todos sabemos que ele o fez. Segundo, qualquer ser humano é livre de criticar seja o que for com que não concorde. Acho muito bem que cada vez mais as pessoas tenham coragem de desmitificar a bíblia e mostrar o que lá está realmente escrito.
Para mim é um livro de ficção cientifica bastante interessante, não sei quem a escreveu, mas o que é certo é que tinha imensa imaginação.
E vamos lá ver se começamos a deixar de criticar quem neste pais sobressaí, até porque nem são assim tantos.
Cristiano eleito o melhor do mundo, os portugueses só falam mal dele.
Saramago prémio Nobel da literatura, os portugueses falam mal.
Povinho este tão cheio de inveja do sucesso dos seus patriotas!

kumkaneco disse...

Independentemente de concordamos ou não com Saramago, não acho que se deva transformar isto numa polémica tão grande. O livro dele está aí, a Bíblia também e portanto quem quiser ter opinião avalizada, bastará para tal ler estes dois livros.
Não acho que Saramago diga o que diga a coberto do Nobel que recebeu. Ele sempre teve opinião muito tempo antes de ser mundialmente conhecido e estas opiniões que afirmou não são novas. Provavelmente agora não se podem ignorar devido à sua importância como escritor reconhecido. Lembro-me que ele há muitos anos atrás era sempre relegado para segundo plano e o que ele dizia não chegava à comunicação social porque era comunista. O seu sucesso só foi alcançado porque era (e é) mesmo muito bom escritor e porque no estrangeiro reconheceram o seu talento muito antes que nós cá dentro, agrilhoados que estamos às nossas complexidades e mesquinhos preconceitos de côr política.

piurso disse...

Concordo contigo.

disse...

Muitos defendem que as declarações de Saramago são um grande golpe de publicidade. Sendo ou não (também não estou muito interessada nessa questão), o que parece é que resultou, porque eu fiquei com muita vontade em ler o livro.

lumadian disse...

"Este Deus não é de fiar..."
Palavras sábias!

Mile Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mile Pimenta disse...

Entendo que ninguém nunca poderá agradar a todos... somos diferentes... temos gostos diferentes! Eu sou evangélica..acredito em todas as páginas da bíblia como um livro escrito por homens e inspirado por Deus! E tento seguí-la! Porém isso nao me impede se ser simplismente apaixonada pelo estilo de Saramago! Ja li vários livros dele (Ensaio sobre a cegueira,Ensaio sobre a lucidez, O Evangelho segundo Jesus Cristo, O homem duplicado, O conto da Ilha desconhecida, Don Giovanni ou o Dissoluto absolvido etc) e sempre me encantei com sua forma e com o que escreve.. Não podemos criticar as pessoas pelo q elas acreditam... isso é muito pessoal! Cada um crê no que quer.... Cada um segue o seu caminho!
Acho Saramago Formidável! Sem nenhum "Temor Divino" (e isso me dáum frio na barriga!) mas Formidável! E uma coisa n tem nada a ver com a outra!
ADmiro ele independente do q ele crê!