quarta-feira, dezembro 19, 2007

TORTURA


Vejo-te presa naqueles espinhos
Fétido refúgio aberto
Não te quero ver ali
Não te quero ver perto
Sentir próximo, preso
Entre os dedos, o cabelo
Nos cabelos as lembranças
Antigas lembranças, beijos passados

Saber é erro,

triste erro

Calar é tortura, cruel
Ver-te perto, próximo, presa
Entre, por entre os cabelos
Pisando nas lembranças
Fazendo dos beijos passados, lixo
Descartados e trocados

Por beijos perdidos...

1 comentário:

pontapé-canhão disse...

Não quero mais recordar
O sabor a pus do teu sexo
Quando em extase animal
Proferias coisas sem nexo.
Mesmo lavada estivesse
e eu de nariz constipado
é coisa que não se esquece
aquele odor conspurcado.
Até que um dia gritei
quando saía da porta
Quando regresso não sei
Despeço-me da tua rata morta.